13/06/2018

Cachoeira e outros 14 são condenados em processo da Operação Saqueador

Contraventor, que já cumpre pena por fraudes na Loterj, foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão.

Nesta quarta-feira (13/6) o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal no Rio de Janeiro, emitiu a sentença da Operação Saqueador, considerada “mãe” da Lava Jato no Rio de Janeiro. Em 2016, investigadores do Ministério Público Federal indicaram que o esquema de corrupção desviou cerca de R$ 370 milhões dos cofres públicos.

Classificado como “principal idealizador dos esquemas ilícitos” pelo magistrado, o empresário Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta, foi condenado à pena total de quatro anos, dois meses e dez dias de prisão. No despacho, Bretas ressalta que o réu era “o grande beneficiário das práticas de lavagem de dinheiro”.

Outro condenado, Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foi sentenciado a nove anos e seis meses de prisão. Bretas escreveu que a “culpabilidade (de Cachoeira) era de extrema relevância”, pelo volume expressivo de valores que ocultou por meio de empresas criadas especificamente para esconder dinheiro.

O magistrado ressalta que a conduta social do bicheiro “é reprovável, considerando que exercia primordialmente atividades ilícitas, através de empresas de fachada, permitindo a utilização de recursos ilícitos por diversas empresas”.

Condenados e penas

  • Fernando Antônio Cavendish Soares: 4 anos, 2 meses e 10 dias de reclusão
  • Carlos Alberto Duque Pacheco: 4 anos, 2 meses e 10 dias de reclusão
  • Cláudia Maria de Andrade Salgado: 3 anos e 3 meses de reclusão
  • Dionísio Janoni Tolomei: 8 anos e 2 meses de reclusão
  • André Machado Ferreira: 8 anos e 2 meses de reclusão
  • Heraldo Puccini Neto: 8 anos e 2 meses de reclusão
  • Paulo Meriade Duarte: 8 anos e 2 meses de reclusão
  • Cláudio Dias de Abreu: 3 anos e 3 meses de reclusão
  • Aluízio Alves de Souza: 9 anos e 6 meses de reclusão
  • Adir Assad: 9 anos e 6 meses de reclusão
  • Marcelo José Abbud: 9 anos e 6 meses de reclusão
  • Sônia Mariza Branco: 5 anos de reclusão
  • Sandra Maria Branco Malago: 4 anos e 7 meses de reclusão
  • Carlos Augusto de Almeida Ramos (Carlinhos Cachoeira): 9 anos e 6 meses de reclusão
  • Geovani Pereira da Silva: 6 anos e 10 meses de reclusão

Carlinhos Cachoeira

A defesa do contraventor se diz ‘perplexa’ com a decisão. Confira a nota:

“[…] a Defesa se mostra perplexa, uma vez que Carlos Augusto de Almeida Ramos, apontado como suposto partícipe no pretenso esquema de lavagem de capitais, foi condenado a 9 anos e 6 meses de reclusão, ao passo que Fernando Cavendish, dono da empresa DELTA, apontado pelo Ministério Público Federal como líder do imaginado grupo e maior beneficiário das condutas apuradas na ação penal, foi condenado a pena consideravelmente inferior, qual seja, 4 anos, 2 meses e 10 dias de reclusão. Nesses termos, a Defesa manifesta sua absoluta irresignação, bem como informa que buscará os meios legais pertinentes à comprovação da inocência de Carlos Augusto de Almeida Ramos.”

Caso da Loterj

Carlinhos Cachoeira já cumpre pena por fraudes na Loteria do Estado do Rio de Janeiro (Loterj). Preso no dia 10 de maio, em Goiânia, o bicheiro ganhou direito a responder em regime semiaberto no dia 23 do mesmo mês, quando também teve a pena reduzida de seis anos e oito meses para quatro anos, pela 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Cachoeira, que está sendo monitorado por uma tornozelerira eletrônica, está trabalhando, desde a última segunda-feira (11/6), em uma empresa de distribuição farmacêutica, em Aparecida de Goiânia. O bicheiro passa o dia na empresa e dorme em casa. A remuneração é de R$ 6,5 mil.

*Com informações do G1 Rio de Janeiro