09/08/2018

Seis policiais e três advogados são presos por extorsão

A suspeita é de que o grupo agia há pelo menos dois anos.

Seis policiais civis,um informante da polícia e três advogados foram presos na manhã de hoje (09/08), na Operação Arapuca, realizada pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), por meio do Grupo Especial de Controle Externo da Atividade Policial (GCEAP) e do Centro de Inteligência do MP.

A operação teve como objetivo combater a organização criminosa na prática de extorsões, concussões e corrupção praticados por policiais civis e advogados. Segundo o promotor do MP, Leandro Murata, coordenador do Grupo de Controle Externo da Atividade Policial, a quadrilha ia atrás de pessoas que cometiam crimes como: venda de medicamentos e diplomas falsos, drogas etc, faziam o flagrante do crime e conduziam as vítimas até a porta da delegacia, quando acontecia a extorsão. “Em quatro meses de investigações, já identificamos 12 casos. A quadrilha cobrava em torno de mil a 30 mil reais para que as vítimas, não fossem presas”, explica.

Investigações criminais

André Ganga, superintendente da Polícia Judiciária da Polícia Civil, ressalta que a extorsão atrapalha as investigações da polícia quanto aos crimes que as vítimas cometiam. “Os policiais e advogados além de pegar o dinheiro das vítimas também ficavam com os materiais ilícitos e revendiam no mercado paralelo o que atrapalha as investigações quanto aos crimes cometidos pelas vítimas da extorsão dessa quadrilha”.

Prisão

Os seis policiais, o informante e dois advogados estão presos e outro policial está foragido. Outra pessoa, que faria venda de medicamentos ilícitos, e foi vítima da quadrilha, teria se associado ao grupo e também foi presa.

De acordo com a polícia, os seis policiais possuem procedimentos na Corregedoria e podem ser exonerados.