13/03/2019

Projeto que permite entrada de animais de estimação em unidades de saúde é aprovado, em Goiânia

Projeto vai agora para apreciação da Comissão de Saúde e deve voltar para o plenário para segunda e última votação.

O projeto de lei do presidente da Câmara Municipal de Goiânia o vereador, Romário Policarpo (PROS), que autoriza a entrada de animais de estimação em unidades de saúde de Goiânia foi aprovado em primeira votação no plenário da Casa nesta quarta-feira (13/3).

O presidente da Casa afirmou que sua proposta foi baseada em projetos semelhantes, que vem sendo aplicados em outros estados e cidades brasileiras, com resultados expressivos. “As pessoas tem demonstrando uma evolução com esse projeto, seja no quadro depressivo ou na alto estima delas ao receber a visita do seu animal de estimação, principalmente quando relacionados a crianças e idosos”, explicou Policarpo.

O vereador lembrou que um projeto semelhante a esse é aplicado por três alunos da Universidade Federal de Goiás (UFG) em Goiânia. “Ele tem mostrado resultados bem objetivos e bem singulares na melhora do paciente, pois a questão da alto estima, da depressão e a vontade para voltar ao ambiente de convívio com seu animal”, relata o presidente da Casa.

Ideia é estabelecer uma regra específica pela Prefeitura para que os animais de estimação possam visitar os seus donos

Policarpo afirmou que a idéia é que a Prefeitura de Goiânia tenha uma regra específica para permitir a visita dos animais de estimação. A proposta prevê que a Câmara Municipal forneça uma autorização previamente editada e que as unidades de saúde utilizem das regras estabelecidas no regime interno para permitir a entrada dos pets.

Vale lembrar que apesar do projeto permitir a entrada dos animais nas unidades de saúde, existem algumas restrições inclusas no texto da proposta. Entre as áreas restritas estão os setores de isolamento como quimioterapia, Unidade de Terapia Intensiva (UTI), fármacias e áreas de manipulação.

Como foi aprovado em primeira votação e na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), o texto do projeto de lei vai para a Comissão de Saúde e caso aprovado volta para o plenário para segunda e última votação. E caso seja aprovado pelo plenário da Casa na segunda votação, a proposta vai para sanção ou veto do prefeito Iris Rezende (MDB).

Via Dia Online 
Imagens Dia Online