16/05/2019

Preso suspeito de matar e beber o sangue da vítima no Distrito Federal

De acordo com a polícia, Eduardo teve ajuda de outros dois comparsas que estão foragidos.

Um jovem de 24 anos foi preso na noite da última quarta-feira (15/5) pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), suspeito de matar Heraldo José de Carvalho, de 43, e beber o sangue da vítima após o crime, no Distrito Federal (DF). Heraldo desapareceu no sábado (11/5) e seu corpo foi encontrado na tarde da última terça-feira (14/5), dentro de uma tubulação de esgoto.

Segundo matéria publicada por um jornal da região, o suspeito foi identificado como Eduardo da Conceição e o mesmo teve ajuda de comparsas para cometer o crime. O suspeito, na delegacia, negou que participou do assassinato de Heraldo José e afirmou que não viu nada.

Após a prisão do suspeito, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) solicitou a prisão temporária de Eduardo. Conforme a publicação do periódico, Eduardo vai responder pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e corrupção de menores. Caso seja condenado, o rapaz pode pegar até 30 anos de prisão.

Polícia esteve na casa do suspeito de beber o sangue de vítima e encontrou gatos e um cachorro morto

A 6ª Delegacia de Polícia (DP) do Paranoá foi procurada na última segunda-feira (13/5) pela mulher de Heraldo para registrar o desaparecimento do companheiro que sumiu durante o fim de semana. Após o caso ser relatado pela companheira da vítima, o corpo de Heraldo foi encontrado na tarde de terça-feira (14) e uma testemunha contou à mulher quem seria o responsável pelo assassinato do seu companheiro.

No mesmo dia, os policiais da 6ªDP estiveram na casa de Eduardo e encontraram vários gatos, um cachorro morto e vísceras de animais. Na ocasião, o suspeito não estava na residência. De acordo com a delegada que investiga o caso, Jane Klebia, o motivo do crime foi um acerto de contas, pois Heraldo recebeu o pagamento em drogas para construir uma cerca onde Eduardo morava, mas consumiu os entorpecentes antes de fazer o serviço.

Conforme uma testemunha relatou à companheira de Heraldo, Eduardo matou a vítima e contou a ajuda de outras duas pessoas, após o crime, o suspeito ainda bebeu o sangue de Heraldo. Após ter ciência da participação de outras duas pessoas no crime, a polícia solicitou junto à Justiça a prisão dos outros dois suspeitos do crime, o que até o momento não ocorreu.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online