10/01/2020

Homem morto em bar tem casa furtada horas depois do crime, em Ipameri

O caso aconteceu na última quinta-feira (9/1).

Um homem vítima de homicídio em um bar no município de Ipameri, a 200 quilômetros de Goiânia, teve sua casa furtada horas depois do crime ter ocorrido. O caso aconteceu na última quinta-feira (9/1).

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), a vítima foi morta a tiros no bar de Ipameri. Na noite do mesmo dia, as equipe do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) receberam a informação de que um indivíduo havia acabado de furtar a residência da vítima de homicídio e que o mesmo estaria caminhando pela avenida Professor Boa Ventura em posse dos objetos subtraídos.

Ainda conforme informações da PM, de imediato as equipes se deslocaram para o endereço informado e conseguiram localizar o autor e os objetos furtados. Com ele, os policiais encontraram uma TV de 42 polegadas; um aparelho de DVD; um roteador de internet; um estabilizador; um aparelho de som; três aparelhos celulares e produtos de higiene e limpeza.

Diante do fato foi dado voz de prisão ao suspeito que foi conduzido para a Central de Flagrantes da Delegacia de Polícia Civil de Catalão para os procedimentos legais. Ainda não há informações sobre as motivações e autoria do crime de homicídio registrado no bar.

Além de caso de Ipameri, em Goiânia uma mulher foi presa por se passar por diarista para também furtar residências

Em agosto deste ano, uma mulher de 43 anos que se passava por trabalhadora doméstica para furtar casas, em Goiânia, foi presa após atuação da Polícia Civil. A falsa diarista se candidatava aos empregos em residências da capital mas não permanecia nem por um dia, pois desaparecia levando com ela objetos de furto, como dinheiro e joias.

A prisão preventiva de Rosimeira Cruz da Silva foi cumprida pelo 4º DP de Goiânia, com investigações conduzidas, na época, pelo delegado Carlos Caetano. Ao Dia Online, o delegado contou que a mulher tinha já mais de 10 passagens, todas por furto qualificado.

Ele também informou que Rosimeire já havia sido presa há cerca de 10 dias, mas ficou apenas três dias detida.

A falsa diarista pesquisava vagas na internet na área de limpeza doméstica e se apresentava para o emprego. Entretanto, seu intuito era apenas furtar as residências. “Ela ia para ‘trabalhar’ mas não ficava nem duas horas na casa”, conta o delegado. Logo depois, ela ia embora carregando consigo vários objetos furtados como jóias, relógios e dinheiro.

Sua região de maior atuação era no Setor Oeste, em Goiânia, onde a mulher pode estar envolvida em pelo menos oito casos. Rosimeire foi indiciada por furto qualificado.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online