10/01/2020

Mulheres são flagradas com ilícitos escondidos em lâmpada, em presídio de Formosa

Os servidores encontraram seis celulares, quatro cabos USBs , sete fones de ouvido, 58 chips de operadoras, papéis de seda, porções de substâncias análogas à maconha e cocaína.

Duas mulheres, de 22 e 56 anos, foram flagradas com ilícitos escondidos em lâmpada, no presídio de Formosa, nesta quinta-feira (9/1).

O flagrante foi feito pelo servidores da unidade prisional, pertencente à 9ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP).

De acordo com a direção do presídio, o flagrante aconteceu no momento de revista nos materiais que seriam entregues a dois presos, sendo esposo e filho , respectivamente.

Com as mulheres, os servidores encontraram seis celulares, quatro cabos USBs , sete fones de ouvido, 58 chips de operadoras, papéis de seda, porções de substâncias análogas à maconha e cocaína. Os ilícitos estavam escondidos em lâmpadas que seriam entregues a dois detentos que cumprem pena por roubo.

Os agentes plantonistas encaminharam as mulheres para a Delegacia de Polícia do município para as providências cabíveis. A direção da unidade prisional abriu procedimentos administrativos internos para apurar os fatos e aplicar as devidas sanções disciplinares aos responsáveis, em conformidade com a Lei de Execução Penal (LEP).

Os materiais apreendidos foram colocados à disposição das autoridades competentes para os fins cabíveis.

Além das mulheres flagradas com ilícitos escondidos em lâmpada, em presídio de Formosa, outra escondeu celular para entregar a detento, em Catalão

Uma mulher, de 22 anos, foi flagrada, no dia 1 de novembro de 2019, com um celular escondido em uma lâmpada para tentar entregar a um detento, em Catalão.

De acordo com a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), os agentes receberam uma denúncia anônima e intensificaram os procedimentos de revista.

Quando a mulher chegou na unidade, os objetos foram passados pelo aparelho de raio x e os agentes conseguiram identificar o aparelho celular.

O objeto estava junto de outros itens que seriam entregues para o cunhado da mulher, que cumpre pena por tráfico de drogas. Ela foi proibida de entrar no presídio, por tempo indeterminado.

Diante dos fatos, a mulher foi conduzida para a delegacia para as providências necessárias. A Unidade Prisional abriu procedimento interno para apurar os fatos e aplicar as devidas sanções disciplinares.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online