10/01/2020

Multado em R$ 100 mil, dono de represa em Pontalina pode ter outras punições

Fazendeiro deve ainda apresentar medidas a serem tomadas para a reativação do barramento ou, no caso de desistência do uso, apresentar plano de descomissionamento. Rompimento ocorreu em 4 de janeiro.

O dono da represa que se rompeu na Fazenda São Lourenço, em Pontalina, foi multado em R$ 100 mil pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), por descumprimento da lei e agravantes. Ele ainda deve apresentar medidas a serem tomadas para a reativação do barramento ou, no caso de desistência do uso, apresentar plano de descomissionamento, com cronograma e documentação exigida por lei. O comunicado foi feito nesta quinta-feira (9/1).

Ele foi autuado por: não realizar o cadastro da barragem no sistema da Semad; por problemas na descarga de fundo; por alterações irregulares no extravasor lateral (substituição das tábuas de madeira por um muro de alvenaria, que impossibilitou a regulação da vazão, agravada por danos em propriedades alheias); além de área inundada superior ao outorgado e falhas na manutenção da estrutura, agravado por prejuízos nas áreas abaixo da represa.

Ainda conforme a Semad, o fazendeiro deve receber ouras multas assim que situação se estabilizar na região e a força-tarefa montada pelo Governo de Goiás avaliar com precisão a extensão dos danos ambientais causados pelo rompimento da represa.

Represa se rompe em Pontalina

No dia 4 de janeiro, uma represa de uma fazenda se rompeu em Pontalina, na região Central de Goiás, durante um temporal. Após o rompimento, a Prefeitura de Pontalina publicou um alerta ao moradores, para o risco de rompimento de outras represas em propriedades privadas da cidade. No texto, o Município pediu ainda para que moradores que residem próximos a essas áreas de risco deixassem suas casas, para evitar a ocorrências de acidente.

Devido ao rompimento da represa, duas rodovias que dão acesso à cidade foram interditadas nesta segunda-feira (6/1). A GO-215 ficará fechada por 14 dias e a GO-040 ficará interditada pelo período de 40 dias. Segundo a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), foram feitas vistorias no locais, que constataram que as estruturas das pontes foram comprometidas.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online