13/01/2020

Planaltina: filha de ex-presidente do PROS recebe medida protetiva

Um laudo atestou a existência de marcas de pancadas e mordidas na filha de Eurípedes. Ele foi indiciado.

Após ser denunciado pela filha por agressão, o ex-presidente do PROS, Eurípedes de Macedo Júnior, precisa, agora, manter uma distância mínima da jovem de 19 anos. A moça conseguiu na Justiça do Distrito Federal uma medida protetiva contra o pai após denunciar ter sido agredida por ele em Planaltina de Goiás, na última quarta-feira (8/1). Um laudo atestou a existência de marcas de pancadas e mordidas na filha de Eurípedes. Ele foi indiciado.

Com a medida protetiva, Eurípedes precisar manter, no mínimo, 200 metros de distância da filha. A medida foi proferida na última sexta-feira (10/1). Conforme a defesa do ex-presidente nacional do PROS,  a decisão foi recebida com normalidade. Eurípedes Junior foi afastado pelo partido em decisão unânime tomada em uma reunião no Diretório Nacional. Ele deve prestar depoimento na tarde desta segunda-feira (13/1), quando será ouvido pelo delegado que investiga o caso, Cristiomário Medeiros.

Em 2018, Eurípedes também foi alvo da Operação Partialis, que apura um suposto esquema de desvio de mais de R$ 2 milhões em contratos com a Prefeitura de Marabá (PA) na compra de gases medicinais no interior do estado.

Ex-presidente do PROS teria agredido filha por causa de carro

A filha de Eurípedes registrou um boletim de ocorrência na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) na última quarta-feira (8/1), em Planaltina de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, após alegar ter sido agredida a tapas e pontapés pelo pai. Eurípedes chegou a divulgar uma nota onde fala sobre o caso e se defende das acusações.

A agressão teria ocorrido próximo ao escritório de Eurípedes, em Planaltina de Goiás. De acordo com o depoimento da jovem à Polícia Civil, seu pai ligou para ela e pediu que fosse se encontrar com ele em seu escritório. No local, Eurípedes teria informado a filha que precisava do carro dela e que pagaria o valor de R$ 15 mil pelo automóvel. Entretanto, a moça teria recusado a proposta e, para evitar brigas, saiu do local.

Conforme o registro da ocorrência, Eurípedes foi atrás dela, retirou a chave do carro de suas mãos à força e, logo em seguida, a agrediu com tapas e pontapés. A jovem conta ainda que conseguiu entrar no veículo, mas o pai lhe arrancou do carro e a jogou no chão. Em seguida, partiu com o veículo, jogando o celular e o carregador dela pela janela.  À Polícia Civil, a vítima contou que já buscou ajuda de profissionais que lhe ajudaram a lidar com a violência psicológica que sofreu do pai em outras ocasiões.

Através de seu advogado, Eurípedes Gomes divulgou uma nota na ocasião em que falou  sobre o caso. De acordo com ele, o carro havia sido financiado por ele para a filha, que se comprometeu a quitar as prestações do automóvel, fato que não ocorreu. Além disso, ele alega que o delegado de Polícia que investiga o caso, Cristiomário de Sousa Medeiros, “é notório adversário político de Eurípedes Júnior, e perdeu as Eleições de 2016, no Município de Planaltina”.

A reportagem do Dia Online segue tentando contato com Eurípedes sobre a medida protetiva para a filha. O espaço permanece aberto.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online