26/05/2020

Legislativo de Goiás e de mais 13 estados defendem adiamento das eleições 

Tema foi discutido em videoconferência, nesta segunda (25), presidida pelo presidente da Alego. Eles vão solicitar uma conferência com integrantes do Congresso Nacional para discutir a prorrogação do pleito.

As Assembleias Legislativas de Goiás e de mais 13 estados, além do Distrito Federal, vão pedir pelo adiamento das eleições municipais 2020. O tema foi discutido em reunião, por videoconferência, nesta segunda-feira (25/5), presidida pelo presidente da Alego, Lissauer Vieira (PSB).

Na reunião, ficou decidido que os presidentes dos Legislativos vão solicitar uma conferência com integrantes do Congresso Nacional para discutir o tema. No entanto, todos já assinalaram que são favoráveis à prorrogação das eleições municipais desse ano, agendadas para 4 de outubro, para 6 e 20 de dezembro, respectivamente, 1º e 2º turnos.

Legislativo de Goiás e de outros 13 estados defendem adiamento das eleições; veja quais

Estiveram presentes no encontro virtual os presidentes Ademar Traiano (PSDB- PR), Cauê Macris (PSDB-SP), Ernani Polo (PP-RS), Nelson Leal (PP-BA), Agostinho Petrus (PV- MG), Luciano Bispo (MDB-SE), José Sarto (PDT-CE), Eriberto Medeiros (PP-PE), Júlio Garcia (PSD-SC), Paulo Correia (PSDB-MS), Jalser Ranier (SD-RR), Rafael Prudente (MDB-DF) e os representantes de Mato Grosso, deputada Janaina Riva (MDB-MT) e do Rio Grande do Norte, deputado Gustavo Carvalho (PSDB-RN).

A presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (UNALE), deputada Ivana Bastos (PSD-BA), também participou da reunião. Além do adiamento das eleições, os presidentes do Legislativos também discutiram as medidas de enfrentamento ao coronavírus; a retomada das atividades presenciais e o auxílio financeiro do Governo Federal a estados e municípios, que deve ser sancionado ainda nesta semana.

Eleições 2020

Conforme o calendário eleitoral, as eleições municipais 2020 estão agendadas para o mês de outubro. Mesmo diante da pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, a data ainda não foi alterada.

O pleito deste ano será conduzido pelo novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso. Ele e seu vice, o ministro Luiz Edson Fachin, tomaram posse dor cargos nesta segunda-feira (25/5). Eles também ficarão responsáveis pelos preparativos das próximas Eleições Gerais.

Segundo o TSE, a nova gestão comandará o Tribunal até fevereiro de 2022, quando se encerrará o segundo biênio do ministro Barroso como membro da Corte Eleitoral.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online