27/05/2020

Mortes por covid-19 passam de 350 mil em todo o mundo

Estados Unidos permanecem isolados em primeiro lugar, próximo da marca de 100 mil mortes, com exatos 99.123 falecimentos.

O número global de óbitos registrados em decorrência da pandemia do novo coronavírus ultrapassou a marca de 350 mil pessoas nesta quarta-feira, 27. No início da tarde desta quarta, por volta das 13 horas (de Brasília), a Universidade Johns Hopkins contabilizava 351.815 mortes por covid-19 em todo o mundo. Os Estados Unidos permanecem isolados em primeiro lugar, próximo da marca de 100 mil mortes, com exatos 99.123 falecimentos.

Em segundo lugar do ranking da universidade está o Reino Unido, que reportou mais 412 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas, elevando o total a 37.460. O país ainda confirmou outros 2.013 infectados pelo vírus, que ao todo já contaminou 267.240 cidadãos britânicos desde o início da pandemia, segundo dados oficiais.

Capital da Rússia, Moscou anunciou que irá relaxar algumas medidas restritivas à circulação da população a partir da próxima segunda-feira, 1º de junho. A cidade irá permitir que o comércio não-alimentício reabra e que alguns outros serviços, como lavanderias e oficinas mecânicas voltem a funcionar.

O prefeito moscovita, Sergey Sobyanin, disse que os cidadãos da capital poderão sair de casa respeitando horários ainda a serem estabelecidos pela gestão municipal.

Nesta quarta, a Rússia confirmou mais 8.338 infecções pelo novo coronavírus para um total de 370.680 casos, além de 161 novos óbitos dentre 3.968 vítimas fatais da covid-19. Moscou é a cidade russa mais atingida pela pandemia, com 171.443 infectados.

Seguindo orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a França revogou a autorização que permitia que o medicamento hidroxicloroquina fosse usado no tratamento de pacientes com covid-19, proibindo assim a utilização da droga nesses casos. Sem eficácia comprovada contra a doença, a hidroxicloroquina foi retirada dos protocolos de saúde franceses relacionados à pandemia por questões de segurança.

No Brasil, ao contrário do que fez o governo francês, o ministério da Saúde do governo Jair Bolsonaro ampliou o uso do medicamento no País, apesar da contraindicação da OMS. A França soma, até agora, segundo a Universidade Johns Hopkins, 182.847 casos e 28.533 óbitos causados pela covid-19.

A Espanha registrou nesta quarta-feira seu menor índice de mortes desde que a pandemia começou no país. Nas últimas 24 horas, apenas um espanhol veio a óbito por conta do novo coronavírus, de acordo com dados divulgados pelo governo local. Ao todo, 27.118 pessoas morreram por covid-19 na Espanha e 236.769 foram infectadas pelo vírus, sendo que 231 do total de contaminações foram computadas de terça para esta quarta-feira.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online