02/06/2020

Goiânia confirma mais de 2 mil casos de coronavírus

Nas últimas 24 horas foram 198 diagnósticos positivo para o novo agente do coronavírus.

Segundo informe epidemiológico divulgado nesta terça-feira (2/6) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Goiânia confirmou mais de 2 mil casos de coronavírus. Nas últimas 24 horas foram 198 diagnósticos positivo para o novo agente do coronavírus.

Nesta segunda-feira (1/6), eram 1.977 casos, mas subiu para 2.175 hoje (2/6). De acordo com o documento, nove novas mortes também foram confirmadas dentro de 24 horas, totalizando 72. Apesar dos altos números de infectados e mortos, a Secretaria de Saúde informa que 690 pacientes já se recuperaram totalmente da doença.

O novo relatório confirma ainda que a maioria dos casos está concentrada em jovens e adultos com idades entre 20 e 39 anos (44%) e 40 e 49 anos (35%). Dos 188 pacientes internados pela doença na capital, 114 necessitaram de uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Conforme os dados da SMS, 314 bairros de Goiânia contam casos confirmados da covid-19, doença causada pelo novo agente do coronavírus. Dentre os casos confirmados, em 20 não foi possível encontrar o bairro por meio do CEP.  Veja os dez bairros com mais casos:

  • Setor Bueno – 145
  • Setor Oeste – 99
  • Jardim América – 57
  • Setor Central – 47
  • Jardim Guanabara – 47
  • Jardim Goiás – 43
  • Parque Amazônia -40
  • Setor Pedro Ludovico -37
  • Jardim Novo Mundo – 37
  • Setor Marista – 34

Goiânia confirma mais de 2 mil casos de coronavírus, profissionais da saúde infectados são mais de 500

Do total de casos confirmados,  a capital conta com mais de 500 profissionais de saúde infectados pela covid-19.n A SMS não divulgou informações sobre a quantidade específica de profissionais de saúde recuperados da covid-19.

Dos 533 profissionais de saúde contaminados, a maioria são os técnicos de enfermagem, representando 31%. Em seguida estão os médicos (23%), enfermeiros (17%), fisioterapeuta (5%), recepcionista (3%), área administrativa (2%), cirurgião dentista (2%), nutricionista (2%), farmacêutico (2%) e psicólogo (2%). Outras áreas como técnico de laboratório, biomédico, agente comunitário da saúde e assistente social representam apenas 1%.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online