19/06/2020

Mulher é presa suspeita de vender atestados médicos falsos, em Luziânia

Com ela foram encontrados atestados preenchidos, folhas com anotações e carimbos.

Uma mulher, de 44 anos, foi presa nesta sexta-feira (19/6) suspeita de vender atestados médicos falsos, em Luziânia, no entorno do Distrito Federal. A prisão em flagrante foi efetuada pela Polícia Civil, por meio do Grupo Especial de Repressão a Crimes Patrimoniais (Gepatri).

Aos policiais, a mulher negou cometer o crime, mas em sua residência foram encontrados diversos objetos que comprovavam a prática delituosa, como carimbos, receituário, caderno com anotações, e outros.

Como foi efetuada a prisão da mulher suspeita de vender atestados médicos falsos, em Luziânia

De acordo com a Polícia Civil, o flagrante aconteceu no momento que a mulher ia entregar um atestado médico para um homem que estava em um veículo Fiat/ Pálio, cor cinza.

Durante a ação, depois que os policiais renderam a suposta autora, o motorista do veículo empreendeu fuga. Com ela foi encontrado um atestado médico preenchido supostamente por uma médica, na data de hoje.

Diante dos fatos, os agentes fizeram o adentramento na residência da mulher, que negou vender os atestados médicos. Entretanto, durante as buscas, foram encontrados diversos objetos, como blocos de atestado de comparecimento da Secretaria Municipal de Saúde atestados médicos da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, assim como solicitações de exames médicos e receituários de controle especial da mesma secretaria.

Além disso, foram localizados laudos médicos para solicitação de passe livre da Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos do Distrito Federal. Também foi encontrada uma folha de caderno com anotações contendo códigos CID (Código Internacional de Doenças), 5 carimbos diversos de supostos médicos e 3 receituários preenchidos em nome de supostos pacientes, assinados por supostos médicos, sendo dois do Distrito Federal e um da Secretaria de Saúde de Luziânia.

A autora presa em flagrante responderá por falsificação de documento público e receptação.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online