07/07/2020

RedeMob propõe interditar terminais de Goiânia e Região Metropolitana

Medida tem como objetivo evitar a propagação do coronavírus entre os passageiros. Proposta explica que o fluxo nos terminais continua alto, mesmo com decreto de isolamento e escalonamento obrigatório.

A RedeMob Consorcio apresentou, na manhã desta terça-feira (7/7), uma proposta às entidades competentes para interditar, temporariamente, todos os terminais de Goiânia e Região Metropolitana. A medida, de acordo com o levantamento apresentado, espera evitar a propagação do novo coronavírus entre os usuários do transporte coletivo.

Em reunião, a RedeMob defendeu que apesar da redução de passageiros em mais de 70% na Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC), com a determinação dos decretos de isolamento social, a demanda nos horários de pico, das 6h30 às 7h30 e das 17h às 18h30, continua significativa.

Diante do fluxo, “nem o escalonamento de horários determinado pela Prefeitura de Goiânia surtiu o efeito necessário e desejado pelas autoridades. Nos horários de pico, especialmente nos terminais de integração que são os locais de conexão das linhas que compõem a RMTC, ainda permanecem com aglomeração.”

O consórcio explica que esse fenômeno [grande fluxo no transporte] “pode ser melhor compreendido em razão de que a maioria das pessoas que continuam a utilizar o transporte públicos neste horário são trabalhadores do mercado informal e trabalhadores domésticos, não sujeitos a regulamentação pública.”

Interdição dos terminas de Goiânia e Região Metropolitana; entenda funcionamento

De acordo com a proposta, os terminais seriam interditados enquanto durar as ações governamentais de intervenção social e combate ao coronavírus. Inicialmente, seriam interditados os terminais com menor demanda e em seguida os terminais com maior demanda.

A RedeMob defendeu que, gradativamente, os usuários vão sendo orientados, assimilam as mudanças e o novo modelo de operação do serviço. A interdição seria implantada de 11 a 23 de julho.

Foi proposta ainda a criação de linhas diretas dos bairros mais populosos (origem) para os locais com maior demanda (destino), o que encurtaria o tempo de viagem do usuário, “pois o tempo com a integração e trasbordo nos terminais será eliminado.”

A RedeMob propôs ainda: Concentrar a oferta de viagens nas linhas de eixo com maior demanda. Isto vai diminuir o tempo de espera nos pontos dos corredores de transporte e a quantidade de pessoas dentro dos ônibus; Transferir parte da oferta de viagens das linhas alimentadoras de bairros menos populosos para as linhas de Eixo.

A interdição dos terminais foi apresentada à Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) nesta segunda-feira (6/7), que deve se reunir em breve com com a RedeMob para analisar a proposta. Quanto a interdição dos terminais onde passam linhas do Eixo Anhanguera, a RedeMob vai apresentar mais estudos e conversas com a Metrobus.

Terminais de interrogação: Goiânia e Região Metropolitana

  • Terminal Cruzeiro
  • Terminal Vila Brasilia
  • Terminal Araguaia
  • Terminal Veiga Jardim
  • Terminal Garavelo
  • Terminal Maranata
  • Terminal Bandeiras
  • Terminal Parque Oeste
  • Terminal Isidora
  • Terminal Goiânia Viva
  • Terminal Vera Cruz
  • Terminal Recanto do Bosque
  • Terminal Nerópolis
  • Terminal Senador Canedo
  • Terminal Padre Pelágio
  • Terminal DERGO
  • Terminal Praça “A”Terminal Bíblia
  • Terminal Novo Mundo
  • Terminal Trindade
  • Terminal Goianira
Via Dia Online 
Imagens Dia Online