31/07/2020

Antiga Estação Ferroviária de Goiânia será entregue no dia 10 de maio

Orçada em R$5,8 milhões, restauração do último prédio em Art Decó construído pelo Estado de Goiás trará novos usos ao espaço.

A Antiga Estação Ferroviária tem data de inauguração: 10 de maio. A data foi confirmada Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e também pela Prefeitura de Goiânia.

Assim, como já havíamos adiantado em nossa matéria sobre o local, o prédio será ocupado por uma galeria de artes, um posto da Guarda Civil, a Banca Municipal, um Centro de Atendimento ao Turista (CAT), a Gerência do Patrimônio Histórico municipal, uma unidade da Atende Fácil e um café.

As obras da Antiga Estação Ferroviária estavam, anteriormente, previstas para ser entregues no mês de março. O prédio passou por restaurações em todas a suas instalações. O projeto também irá trazer novo uso ao entorno da Estação. Assim, o custo total foi de R$5,87 milhões, repassados pelo governo federal através do programa PAC Cidades Históricas, do Iphan.

A Antiga Estação Ferroviária

Torre do Relógio da Estação Ferroviária de Goiânia
Torre do Relógio ainda durante a reforma  da Antiga Estação Ferroviária de Goiânia | Foto: Paula Falcão

A Estação Ferroviária de Goiânia foi o último dos prédios construídos em Art Déco pelo Estado de Goiás, em 1952. A coordenadora-técnica do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Goiás, Beatriz Otto de Santana, contou, em entrevista ao Aproveite a cidade em novembro de 2018, que intervenção na Estação foi muito que uma simples reforma, já que envolveu a restauração de todo o edifício. Além disso, ocorreu toda a requalificação do entorno mais imediato à obra, na Praça do Trabalhador.

Beatriz informou, em novembro, que para a revitalização foram pensadas duas principais frentes de obras. A primeira foi a restauração do edifício. Portanto, paredes, esquadrias e banheiros foram reformados,  tornando-os salubres e acessíveis.  Foram feitas intervenções para que o edifício passasse a ter acessibilidade corretas. Também houve reformas para que as chuvas não atingissem mais a área interna.

A segunda parte da restauração foi a artística. Assim, os dois painéis de Frei Confaloni, pai da arte moderna em Goiás e precursor da faculdade de Arquitetura no Estado, foram recuperados.  Eles adornam o vão da Estação.

Além disso, a Maria Fumaça, estacionada no local, mudou de lugar, e passou a ficar na plataforma de embarque para acesso, na parte posterior da Estação. Outra parte importante foi a reforma do relógio, que volta a funcionar.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online