31/07/2020

Trabalho da força-tarefa que investiga caso Danilo é prorrogado, diz PCGO

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos do crime já foram identificados e a corporação atua com mais de uma linha de investigação. O menino desapareceu no dia 21 de julho e o corpo dele foi encontrado no dia 27.

O prazo de trabalho da força-tarefa da Polícia Civil de Goiás (PCGO), para investigar a morte do menino Danilo de Sousa Silva, de sete anos, foi prorrogado até o dia 8 de agosto. O comunicado foi feito pela corporação, por meio de nota, nesta sexta-feira (31/7).

De acordo com a PCGO, os suspeitos do crime já foram identificados. Até o momento, a Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), que investiga o caso, já realizou dezenas de diligências de campo, laudo periciais foram confeccionados, testemunhas foram ouvidas.

PCGO pede informações sobre caso Danilo

Em nota, a corporação informou ainda a Polícia Civil explicou ainda que trabalha com mais de uma linha de investigação. O texto diz ainda que a população pode contribuir com informações sobre o caso por meio do Disque-Denúncia 197 ou pelo número (62) 3201-1220.

Leia a nota na íntegra:

A Polícia Civil de Goiás informa que a força-tarefa, composta por 20 policiais civis da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), para investigar a morte do menino Danilo de Sousa Silva, teve seu prazo de trabalho prorrogado. A DIH já realizou dezenas de diligências de campo, laudo periciais foram confeccionados, testemunhas foram inquiridas. A Polícia Civil já identificou os suspeitos do crime e trabalha com mais de uma linha de investigação. Ressalte-se que a população pode contribuir com informações sobre o caso por meio do Disque-Denúncia 197 ou pelo número (62) 3201-1220. O sigilo das informações prestadas é garantido constitucionalmente. A Polícia Civil reitera que o crime será elucidado de forma rápida, eficaz e definitiva. Entrevistas a respeito do Caso Danilo só serão concedidas pela DIH após a conclusão das investigações.

Caso Danilo

Danilo de Sousa Silva desapareceu no dia 21 de julho. O menino disse à mãe que iria à casa da avó, por volta das 17h e não voltou mais. Segundo a família, Danilo e seus irmãos eram criados “soltos”, pois sempre havia a supervisão de um adulto mais velho na rua.

O corpo do menino foi encontrado seis dias depois, em uma região de mata, a cerca de 100 metros da casa onde morava com a família. Na última terça-feira (28/7), o Instituto Médico Legal (IML) confirmou que o corpo encontrado pelo Corpo de Bombeiros no dia anterior era realmente de Danilo.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online