24/08/2020

Caminho de Cora Coralina será reaberto para visitantes

Percurso é uma trilha de 300 km que parte de Corumbá de Goiás em direção à antiga capital, a cidade de Goiás. São oito cidades e oito povoados no trajeto.

O Caminho de Cora Coralina será reaberto na próxima sexta-feira (28/8), depois de ficar sem receber visitantes oficialmente desde março de 2020, por causa da pandemia do coronavírus. De acordo com o presidente da Associação Caminho de Cora Coralina (ACCC), Bismarque Villa Real, já há agendamento tanto de caminhantes como de ciclistas, o que tornam boas as expectativas para a retomada das atividades no local.

Para que o retorno aconteça de forma segura, o ACCC está oferecendo um treinamento sanitário on-line. Podem fazer o curso operadores de Turismo, donos e funcionários dos meios de hospedagem e outros empreendedores do Caminho. Assim, todos que fizerem o Curso Virtual de Protocolo Covid-19, que pode ser acessado por celular e computador, recebem certificado. Além disso, há também um treinamento presencial.

As aulas repassam os protocolos do Ministério do Turismo, enfatizando não só os cuidados necessários para receber o turista, mas também sobre a maneira correta de orientar os visitantes. Segundo Bismaque, a maioria dos associados tem manifestado interesse em retomar suas atividades.

Caminho de Cora Coralina

O Caminho de Cora Coralina é uma trilha de 300 km em meio à natureza preservada. Assim, pode ser percorrida a pé, de bicicleta ou a cavalo, inteira ou por trechos. Partindo de Corumbá de Goiás em direção à antiga capital, a cidade de Goiás, o percurso inclui oito cidades históricas, oito povoados e três unidades de conservação ambiental. Dessa forma, o itinerário cruza reservas ecológicas, fazendas com sedes antigas, ruínas de lavras de ouro e cidades com seus casarões do período colonial e igrejas centenárias.

No Caminho é possível fazer caminhadas, cavalgadas e cicloturismo. Além disso, arvorismo, pêndulo, rapel, escalada, tirolesa e boia-cross em meio à paisagem única do Cerrado. No trajeto, os visitantes encontram serras, nascentes, cachoeiras, quedas d’água e corredeiras. Além disso, diversos rios e córregos para se refrescar.

Ao longo do trajeto, nas áreas de descanso e pontos de apoio, textos de Cora Coralina integram o roteiro. A gastronomia é um atrativo a mais, valorizando elementos locais na composição de pratos das regiões por onde o Caminho passa.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online