06/01/2021

Material escolar está mais caro em 2021, mostra pesquisa do Procon Goiás

Comparando os preços médios dos produtos que figuraram no levantamento de preços do ano passado e que permaneceram na pesquisa atual, percebe-se que no geral, houve um aumento de 13,54%.

Depois de um ano escolar atípico, praticamente inteiro de ensino online, pais e alunos já precisam se preocupar com mais uma despesa comum de início de ano: o material escolar. O Procon Goiás divulgou uma pesquisa nesta terça-feira (5\1) que apresenta variações de produtos de até 593,33%.

Aparentemente, pelo que já foi visto até o momento, a lista de material escolar deste ano está um pouco mais concisa que a do ano passado, conforme informações repassadas por funcionários das papelarias visitadas pelos pesquisadores.

Na pesquisa foram escolhidos 121 itens que fazem parte da lista de material escolar, pesquisados em 15 papelarias da capital no período de 14 a 29 de dezembro de 2020. Além disso, nem todo material precisa ser novo, conforme explica Gleidson Tomaz, gerente de Pesquisa e Cálculo do órgão: “Em um ano atípico como o de 2020, muitos itens ficaram sem uso ou podem estar em condições de serem reaproveitados. O material escolar não é da escola e sim dos alunos, por isso, é interessante solicitar junto à escola os materiais que restaram do ano passado e avaliar a possibilidade de reaproveitá-los”.

Preço salgado

Apesar de relatado pelos funcionários das papelarias visitadas que as listas estão mais enxutas esse ano, os produtos estão pesando mais no bolso dos pais e alunos. Comparando os preços médios dos produtos que figuraram no levantamento de preços do ano passado e que permaneceram na pesquisa atual, percebe-se que no geral, houve um aumento de 13,54%.

No entanto, individualmente, foi registrado aumento de até 81%. É o caso, por exemplo, da lapiseira. No ano passado era vendida em média a R$ 4,13 e atualmente, a R$ 7,49, aumento de 81,30%. Além disso, a borracha branca apresentou uma variação de 556,25% e a caneta esferográfica também teve uma variação significativa de  500,00 %.

O órgão afirma que o importante na hora de fazer a compra é juntamente com  à escola solicitar uma lista dos materiais que restaram do ano letivo anterior e avaliar a possibilidade de reaproveitá-los como tesouras, caixa de lápis de cor, canetas, etc, antes de saírem às compras. Para ver a pesquisa completa acesse: https://www.procon.go.gov.br/wp-content/uploads/2021/01/Relat%C3%B3rio-Volta-as-Aulas-2021.pdf

 

Via Dia Online 
Imagens Dia Online