07/01/2021

Paulo Daher pede cassação do mandato de Maguito e prontuários médicos do prefeito

Segundo o advogado responsável pelo caso, Fernando Sales, nas petições ficou caracterizada fraude no pleito por conta de divulgação de informações falsas sobre o estado de saúde de Maguito.

O ex-vereador e presidente estadual do PMN, Paulo Daher,  propôs duas ações na Justiça Eleitoral pedindo a cassação dos diplomas do prefeito e vice de Goiânia, Maguito Vilela (MDB) e Rogério Cruz (Republicanos). Segundo o advogado responsável pelo caso, Fernando Sales, nas petições ficou caracterizada fraude no pleito por conta de divulgação de informações falsas sobre o estado de saúde de Maguito. Inclusive, o advogado solicitou  os depoimentos dos médicos do Hospital Albert Einstein e os prontuários por causa dos boletins de saúde divulgados.

Além disso, o partido alegou que o prefeito não tinha capacidade civil para disputar os dois turnos das eleições de 200. De acordo com ás informações divulgadas pelo Jornal O Popular, a primeira ação que séria de impugnação de mandato eletivo, alega que o  grupo do prefeito “ardilosamente, com o intuito de ludibriar, enganou os eleitores sobre o estado de saúde” do emedebista. É que as atitudes do partido e do vice “comprometeram a normalidade do pleito eleitoral e prejudicaram a paridade de armas entre os candidatos” completou.

Outro ponto importante da acusação é que os termos “instável” e “em recuperação”  levavam o eleitor a acreditar na melhora de Maguito, quando na verdade o estado do emedebista só apresentava piora. Outro argumento do partido foi que o eleitor ao ter acesso ás informações do estado de saúde do emedebista no primeiro turno, reduziu a vantagem de Maguito ao candidato que estava em segundo lugar, Vanderlan Cardoso (PSD).

Na ação, o PMN pede que os médicos do Hospital Albert Einstein prestem depoimentos para esclarecer a real situação de Maguito e também que a direção do hospital manifeste sobre os boletins médicos divulgados pelo hospital.

Internação

Maguito Vilela foi internado no hospital Albert Einstein, em 27 de outubro, com cerca de 75% dos pulmões comprometidos devido a complicações causadas pela covid-19 e precisou ser encaminhado para uma unidade de terapia intensiva (UTI). O candidato passou para o segundo turno das eleições sem saber e teve toda a campanha gerida pelo atual vice prefeito de Goiânia e seu filho e atual presidente do MDB em Goiás, Daniel Vilela.

O prefeito está internado há mais de dois meses em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), apesar de apresentar melhora, ainda não a previsão de alta e nem quando ele vai assumir ás atividades da prefeitura.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online