15/01/2021

Queijo Cabacinha se torna Patrimônio Cultural de Goiás

Fabricado há quase um século por produtores da região do Araguaia, queijo em formato de cabaça é versão regional do italiano Cacciocavallo.

Você é um admirador do Queijo Cabacinha, tradicionalmente produzido em cidades próximas ao Rio Araguaia? Pois agora esta iguaria local é considerada um Patrimônio Cultural do Estado de Goiás. A lei Lei nº 20.963 foi sancionada pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado e publicada no Diário Oficial nesta quinta-feira (14/11).

A matéria, de autoria do deputado estadual Eduardo Prado(DC), quis reconhecer um sabor único regional, respaldando produtores rurais que dominam a produção e a técnica, bem como o produto em si. O Queijo Cabacinha tem esse nome por seu formato similar ao de uma cabaça, adquirido pela maneira que é amarrado e pendurado para secar. Além disso, é produzido há quase um século nos municípios de Mineiros, Santa Rita do Araguaia, Portelândia, Doverlândia e Perolândia.

O queijo Cacciocavallo de Goiás

Segundo informações da Casa Civil, o Queijo Cabacinha tem origem no Sul da Itália e começou a ser fabricado com leite cru de vaca ou ovelha para povos nômades. Lá é nomeado de Cacciocavallo (queijo a cavalo) também por causa do modo que é deixado para secar. Por causa da técnica de envelhecimento nas cavernas, desenvolve sabores picantes, aromas terrosos e frutados. Sua coloração vai do branco ao amarelo mais escuro.

O Cacciovallo e o nosso Cabacinha são feitos com pasta filata (ou massa filata). Ou seja, queijos que ao serem aquecidos ficam elásticos e formam longos fios ao serem puxados. Este também é o caso do provolone e da muçarela.

Atualmente, o “Queijo Cabacinha do Araguaia” já tem o diagnóstico de Indicação Geográfica pelo Sebrae (IG), um selo que identifica um produto ou serviço como originário de uma área geográfica delimitada. Além disso, determina a qualidade, reputação e outras características para agregar valor ao produto e proteger a região produtora.

O reconhecimento como patrimônio cultural, que vemos agora com este queijo local, também aconteceu para os Pit dogs. Que tal relembrar? Aqui.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online