10/06/2021

Mãe é presa suspeita de abandonar filhos em casa por 7 dias, em Alto Paraíso

A Polícia Civil ainda descobriu que uma das crianças, de cinco anos, teria sido abusada pelo ex-companheiro da mulher.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia Civil de Alto Paraíso, cumpriu um mandado de prisão preventiva em desfavor de uma mãe suspeita de abandonar os filhos em casa por 7 dias. O crime ocorreu em dezembro de 2020, mas só agora a prisão foi efetuada.

Conforme consta nos autos, as crianças foram encontradas pela Polícia Militar e a mais velha tinha 4 anos. Em janeiro deste ano, vizinhos da mulher levaram uma das crianças, de apenas seis meses, ao hospital municipal, pois ela apresentava febre, desidratação, convulsão e baixo peso corporal. A bebê precisou ser encaminhada para Goiânia, onde permaneceu um mês internada.

De acordo com a Polícia Civil, a mulher também usava o dinheiro que recebia do bolsa família para comprar drogas e bebidas alcoólicas. Por fim, foi apurado que a mulher estava ameaçando a avó dos seus filhos, a qual atualmente tem a guarda das crianças.

Diante dos fatos foi representado pela prisão preventiva da mulher, que está recolhida na unidade prisional e encontra-se à disposição do Poder Judiciário. Ela é suspeita dos crimes de abandono de incapazes, majorado pelo agente ser ascendente da vítima, tentativa de homicídio na forma na forma omissiva imprópria, abandono material e ameaça.

Criança abandonada por mãe por 7 dias, em Alto Paraíso, relata abuso sexual

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Bárbara Buttini, há a suspeita de que o ex-companheiro da mulher tenha abusado sexualmente de uma das crianças, de apenas cinco anos.

A violência sexual foi descoberta depois que as crianças foram ouvidas por uma psicóloga. O crime teria acontecido em janeiro deste ano e, segundo a investigadora, a mãe não sabia dos abusos.

Conforme relatado pela menina à psicóloga, o ex-namorado da mãe ‘passava a mão’ nela. O suposto autor dos abusos é menor de idade e teria fugido para o estado do Tocantins. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online