11/06/2021

Preso em Goiânia suspeito de venda irregular de medicamento avaliado em R$ 450 mil

Os produtos eram comercializados com valores abusivos para pessoas acometidas com Covid-19.

A Polícia Civil de Goiás (PCGO), por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), efetuou a prisão de um homem, de 33 anos, suspeito de venda irregular de medicamento avaliado em R$ 450 mil para pessoas com Covid-19.

Esta é a segunda fase da Operação Nisi Facilis, objetivando a desarticulação de associações criminosas especializadas no comércio criminoso de medicamentos de alto custo utilizados no tratamento de pacientes graves acometidos pela Covid-19 e outras patologias.

Durante a operação, os policiais apreenderam na residência do investigado, no Setor Negrão de Lima, centenas de medicamentos de alto custo e de uso controlado. No mercado ilícito, os produtos somariam a quantia de R$ 450 mil.

O homem foi preso em flagrante pelo crime de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais. De acordo com a PCGO, o crime é inafiançável em sede policial.

Investigação do suspeito de venda irregular de medicamento avaliado em R$ 450 mil

Conforme apontam as investigações, os criminosos se aproveitavam da condição vulnerável das vítimas e ofereciam os produtos sem origem de procedência, em desobediência às normas sanitária, como acondicionamento e refrigeração inadequados. Além disso, exigiam valores abusivos, isto é, muito acima daquele praticado no mercado regular.

Na operação, foram apreendidas medicamentos utilizados para sedação de pacientes e procedimentos clínicos complexos, medicação que compõe o kit intubação, atualmente em falta no mercado e muito utilizado no tratamento de quadros graves da Covid-19 e outras doenças. Além de outros medicamentos como Cefriaxona, Heparina, Succinato sódico, Med pex e Etomidato.

Todos os envolvidos foram indiciados por associação criminosa, com pena de reclusão de 1 a 3 anos; e crime contra a saúde pública, tipo penal hediondo equiparado a adulteração de medicamento, consistente no comércio ilícito de medicamentos, cuja pena é de 10 a 15 anos de reclusão. A primeira fase da operação foi deflagrada no final de maio deste ano.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online