14/06/2021

Torre do Relógio, no Centro de Goiânia, será reinaugurada

Restauração incluiu reforço estrutural e relógio voltou a funcionar normalmente, com sinos soando a cada hora. Reinauguração acontece nesta terça (15/6). Obra custou R$ 678 mil.

A Torre do Relógio da Avenida Goiás, no Centro da capital, será reinaugurada nesta terça-feira (15/6), às 18h. O monumento foi inaugurado em 5 de julho de  1942, durante o batismo cultural de Goiânia. Assim, após processo de restaurado feito pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), além de embelezar e reavivar a memória da cidade, o relógio urbano voltou a funcionar normalmente.

A reforma da Torre do Relógio da Avenida Goiás começou em agosto de 2020 e custou aproximadamente R$ 678 mil. Com o investimento,  ao longo de pouco mais de sete meses, o monumento de 16 metros de altura passou por um completo reforço estrutural. Estas adequações foram apontadas durante os estudos da restauração. Além disso, houve recuperação do revestimento em pó de pedra, do piso interno em cimento queimado e da pintura interna.

A restauração da Torre do Relógio buscou, também, resgatar a sua função. Dessa maneira, o maquinário, que estava parado há vários anos, recebeu uma restauração especializada, que custou R$ 9,8 mil. Essa obra foi custeada pela Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag), que ficará responsável pela manutenção do bem cultural. O equipamento já foi reinstalado e reativado. Inclusive, com os ponteiros do relógio voltando a marcar as horas da capital, os sinos voltaram a soar.

Segundo o Iphan, também foram restaurados ornamentos e componentes geométricos arquitetônicos da Torre. Dessa forma, foram restabelecidos sua integridade e conservação. Outra mudança é que o monumento volta a ser iluminado, o que também vale para os ponteiros do relógio. A iluminação interna também foi toda reformulada.

A história da Torre do Relógio da Avenida Goiás

A Torre do Relógio está localizada no início da Avenida Goiás, em seu canteiro central, já próximo à Praça Cívica, marco inicial da construção de Goiânia. Segundo informações do Iphan, o monumento urbano foi projetado por Américo Vespúcio Pontes. Assim, “a Torre possui desenhos geométricos verticais, horizontais e diagonais, e, sobre o mostrador das horas, um elemento vazado com curvas sinuosas”.

Ao longo de seus 79 anos, a Torre passou por uma  intervenção, de acordo com registros levantados pelo Iphan. Ela ocorreu em 1998, quando as ferrugens foram pintadas com esmalte. Além disso, à época houve recuperação da iluminação interna e  manutenção do relógio, que voltou a funcionar.

O relógio urbano é típico da cidade do século XX. E a Torre do Relógio grandiosa da nossa capital também se enquadra como um componente construído para exaltar a modernidade. Ela é um bem cultural de propriedade e gestão da prefeitura da Goiânia e faz parte do conjunto arquitetônico art déco e urbanístico da capital, que foi reconhecido pelo Iphan como Patrimônio Cultural Brasileiro em 2003.

O Iphan-GO ressalta que a restauração da Torre do Relógio faz parte de uma série de intervenções para recuperação da integridade do patrimônio edificado do centro de Goiânia. Assim, lista as recentes restaurações da Estação Ferroviária (maio de 2019); da Antiga Delegacia Fiscal, que hoje é a atual Sede do Iphan-GO (fevereiro de 2020); e do Coreto da Praça Cívica (maio de 2020). Além disso, a obra de restauração da Antiga Chefatura de Polícia, localizada na Praça Cívica,  está em andamento. A previsão de entrega, segundo o instituto, será em novembro deste ano.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online