15/06/2021

Homem é preso suspeito de estuprar enteada durante oito anos, em Planaltina

O mandado de prisão preventiva foi cumprido após dois anos e dois meses de busca, a vítima foi estuprada dos cinco até os 13 anos.

Um homem foi preso pela Polícia Civil de Goiás (PCGO) suspeito de estuprar enteada durante oito anos, em Planaltina, entorno do Distrito Federal. O mandado de prisão preventiva foi cumprido em Sobradinho (DF), após dois anos e dois meses de buscas.

De acordo com a PCGO, o homem é suspeito de estuprar a enteada dos cinco até os 13 anos dela. As investigações apontam que o homem ganhou a confiança da enteada e começou a praticar atos libidinosos com ela na residência onde moravam.

Quando a vítima já tinha cerca de 10 anos, o padrasto passou a ter conjunção carnal com ela e o abuso só teria acabado quando a família se mudou para outra cidade. O suspeito foi conduzido até o presídio local e se encontra à disposição do Poder Judiciário.

Em outro caso, homem é preso suspeito de estuprar enteada de 7 anos e filho de 1 ano, em Iporá

No dia 22 de abril deste ano, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Iporá cumpriu um mandado de prisão preventiva contra um homem, de 32 anos, suspeito de estuprar a enteada de 7 anos e filho de 1 ano.

De acordo com a Polícia Civil, o crime foi descoberto quando a menina, de 7 anos, sentiu dor ao urinar. Neste momento, familiares perceberam que ela estava com a genitália ferida.

Segundo as provas colhidas até o momento, há pelo menos um ano o suspeito costumava apertar as bochechas, os braços e os seios da criança, provocando-lhe lesões corporais. Ele também costumava vestir a criança com roupas curtas e fazê-la dançar músicas sensuais.

No último dia 3 de abril, a menina adormeceu após beber um sonífero dado pelo padrasto. A vítima acordou sentindo fortes dores e viu o padrasto com a mão em suas partes íntimas. Em seguida, o suspeito ameaçou a menina para que não contasse o que aconteceu, caso contrário, mataria ela, sua mãe e seu irmão.

Dois dias depois do ato, a menina sentiu dor ao urinar, momento que a família percebeu que ela estava com a região íntima ferida. A perícia médica constatou então alterações na região da genitália.

De acordo com a Polícia Civil, outras provas foram colhidas, reforçando a suspeita do estupro de vulnerável contra a menina e apresentando indícios de que o investigado estava cometendo o mesmo crime contra seu filho de apenas 1 ano.

Segundo a vítima, ela viu o padrasto apertar a genitália do irmão, de 1 ano. Além disso, a menina ainda afirma que recebia pancadas nas partes íntimas. O suspeito já possui condenação por roubo majorado.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online