24/07/2021

Advocacia de Aparecida se une para apoiar Rodolfo Mota

Lideranças da segunda maior subseção da OAB em Goiás deixam outras pré-candidaturas e passam a integrar Movimento da Advocacia Unida; conselheira seccional também anuncia apoio.

Lideranças da advocacia de Aparecida de Goiânia e da capital declararam na noite desta sexta-feira (23/7) que passam a integrar a partir de agora o Movimento Advocacia Unida, liderado pelo pré-candidato a presidente da OAB-GO Rodolfo Mota. O presidente da subseção de Aparecida, Francisco Sena; o vice-presidente da Comissão Especial de Combate à Corrupção Eleitoral da seccional, Taffarel de Almeida; e o presidente da Comissão de Direito Criminal e Políticas Públicas da Subseção de Aparecida, Raphael Rodrigues, anunciaram ontem que estão fechados com Rodolfo Mota. Conselheira seccional da OAB-GO e Procuradora Regional de Defesa das Prerrogativas, a criminalista Márcia Póvoa também declarou apoio ao pré-candidato.

Taffarel era pré-candidato a presidente da subseção na chapa de Rafael Lara e Raphael estava no grupo de Pedro Paulo Medeiros. A chegada deles, juntamente com Francisco Sena, marca a união de grupos distintos na política classista em Aparecida em torno de um único projeto. É que Taffarel e Sena foram adversários na última disputa pelo comando da subseção e agora o atual presidente, que está em seu segundo mandato, vai apoiar a pré-candidatura de Taffarel.

“O apoio dessas lideranças de Aparecida para nós é icônico, pois espelha aquilo que defendemos no nosso conceito de Advocacia Unida. Que é a superação de divergências e o trabalho em conjunto para atender as demandas de todos advogados de Goiás, sem discriminar ninguém por questões de política classista”, afirma Rodolfo Mota. A subseção de Aparecida é a segunda maior do Estado, com cerca de 2 mil advogados inscritos.

Durante o anúncio dos apoios, no Fórum da Advocacia Unida, Francisco Sena elencou uma série de conquistas da gestão de Rodolfo Mota à frente da Casag para a advocacia de Aparecida e de Goiás, dentre elas o novo prédio da subseção, que conta com estrutura de auditório e escritório compartilhado, e a requalificação do Centro de Esporte e Lazer da OAB, que também fica no município e atende a toda advocacia do Estado. “Temos aqui um líder que entrega resultados e entendemos que era hora de abrir mão de vaidades para contribuir com este projeto para a OAB Goiás”, afirmou Sena, se referindo à união de grupos distintos em torno da pré-candidatura de Rodolfo Mota.

Em seu discurso, Taffarel disse que se sentia à vontade de estar ao lado de Rodolfo pela forma como ele sempre procurou se relacionar com todos, independentemente de grupos políticos. “Entendemos que nosso objetivo é trabalhar por toda advocacia, sem distinção. Precisamos de alguém que, após a eleição, deixe a disputa de lado para representar bem nossa classe”, disse.

Raphael Rodrigues contou que, diante do crescimento da pré-candidatura, Rodolfo Mota já tem sido alvo de ataques de adversários nos bastidores, o que ele considera um desserviço à advocacia. “Estamos aqui para somar com esse grupo, que defende a união da advocacia, e vamos pegar firme na campanha. Não temos que perguntar o que nosso futuro presidente vai fazer por cada um de nós. Temos que nos perguntar o que ele necessita de cada um de nós para alcançarmos a vitória”, afirmou Raphael.

Prerrogativas

Ao declarar seu apoio, a criminalista Márcia Póvoa, conselheira seccional da OAB-GO e Procuradora Regional de Defesa das Prerrogativas, disse que o Movimento Advocacia Unida tem condições de fortalecer a defesa das prerrogativas, que têm sido desrespeitadas em diversas situações. “Hoje a violação de prerrogativas não está restrita somente à advocacia criminal. Ela se alastra pela advocacia cível, dentro das salas de audiência, e não podemos permitir isto”, afirmou a criminalista.

Ela também aproveitou a grande presença feminina no evento para chamar atenção para a necessidade de valorizar o trabalho das mulheres advogadas. “Temos que lutar também para defender as prerrogativas das advogadas. Tivemos anos atrás grandes violações, mas temos agora a chance de ampliar a representatividade feminina conosco”, destacou.

Via Dia Online 
Imagens Dia Online