03/08/2022

Lissauer Vieira desiste de candidatura ao Senado: “Não é o momento ideal para avançar”

Político afirmou que não disputará nenhum outro cargo eletivo em 2022.

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSD), emitiu uma nota oficial na manhã desta quarta-feira (3/8) declarando a desistência da sua candidatura ao Senado Federal. A decisão foi tomada um dia após a realização de um evento com 27 prefeitos em apoio à sua pré-candidatura ao Senado.

Em nota, Lissauer ainda afirmou que não disputará nenhum outro cargo eletivo em 2022. “Quem acompanha o meu trabalho sabe que no início do ano perdi meu pai, Sr. Carlos Vieira, e desde então, tomei a decisão de não ser candidato nesse pleito eleitoral.”, escreveu.

Lissauer Vieira fala sobre candidaturas avulsas ao Senado

Lissauer Vieira desiste de candidatura ao Senado: "Não é o momento ideal para avançar"
Lissauer Vieira e Ronaldo Caiado. Foto: Ruber Couto

Dias atrás, o governador havia dito a Lissauer que não poderia segurar as candidaturas do Delegado Waldir (UB) e Alexandre Baldy (PP), sugerindo que a base poderia ter mais de um candidato a senador.

Defensor de candidatura única pela base governista, Lissuer Vieira afirma que sabe “reconhecer quando não é o momento ideal para avançar”, e agora é preciso unir força à base aliada, para consolidar o grupo em prol de um bem maior.

Na segunda-feira (1º), Lissauer disse à imprensa que não tem divergências com o governador e que estas questões “estão superadas”.

Leia a nota na íntegra:

Como defensor do diálogo e da transparência, ideais que me acompanham desde que ingressei na vida pública, venho oficialmente declarar que estou retirando minha pré-candidatura ao Senado Federal pelo PSD, e ainda esclarecer que não disputarei nenhum outro cargo eletivo em 2022.

Quem acompanha o meu trabalho sabe que no início do ano perdi meu pai, Sr. Carlos Vieira, e desde então, tomei a decisão de não ser candidato nesse pleito eleitoral.

À época, foi uma decisão dura, que me fez refletir bastante, mas eu estava certo de que naquele momento não conseguiria cuidar das minhas atividades particulares e exercer uma função pública com a dedicação que eu acredito ser necessária. Optei por recuar do então projeto a deputado federal.

No entanto, no início de abril, após minha filiação ao PSD, e atendendo o pedido da maioria dos meus colegas deputados estaduais, prefeitos e vereadores da nossa base e diversas lideranças políticas de todo o estado, aceitei inicialmente o chamado do grupo para a pré-candidatura ao Senado.

Ocupei o espaço a pedido do PSD, considerando a aliança da legenda com a chapa majoritária para a reeleição do governador Ronaldo Caiado; e principalmente, o meu histórico de trabalho e compromisso com os mais de 7 milhões de goianos.

Mas diante da decisão de candidaturas avulsas ao Senado Federal, entendemos, em conjunto, que o momento é de união e fortalecimento da chapa, não de divisão. Precisamos agregar força à base aliada, consolidando o grupo em prol de um bem maior, que é cuidar do nosso estado.

Sou grato a todo apoio que tenho recebido desde que anunciei que aceitaria esse desafio. Mas tudo tem o tempo e a hora certa para acontecer. Sempre honrei as oportunidades que tive, mas também sei reconhecer quando não é o momento ideal para avançar. Seguirei o meu compromisso de continuar trabalhando para melhorar a vida das pessoas.

Leia também: 

Via Dia Online 
Imagens Dia Online